terça-feira, 16 de agosto de 2011

A oração move o impossível. Neemias 1: 4, 5 e 6

“E sucedeu que, ouvindo eu essas palavras, assentei-me, e chorei, e lamentei por alguns dias; e estive jejuando e orando perante o Deus dos céus.

E disse: Ah! SENHOR, Deus dos céus, Deus grande e terrível, que guardas o concerto e a benignidade para com aqueles que te amam e guardam os teus mandamentos!

Estejam, pois, atentos os teus ouvidos, e os teus olhos, abertos, para ouvires a oração do teu servo, que eu hoje faço perante ti, de dia e de noite, pelos filhos de Israel, teus servos; e faço confissão pelos pecados dos filhos de Israel, que pecamos contra ti; também eu e a casa de meu pai pecamos”.

Introdução: Neemias (a quem o Senhor conforta) viveu durante o período em que Judá era uma província do Império Persa, e havia sido designado copeiro real no palácio de Shushan; Neemias ao que se persebe ter tido um bom relacionamento rei, Artaxerxes I, como evidencia a longa licença que lhe foi concedida durante a restauração de Jerusalém. Através de seu irmão Hanani (Ne, 1:2; 2:3), Neemias ouviu sobre a condição lamentável de Jerusalém, e encheu-se de tristeza; por muitos dias ficou em jejum, em luto, orando pelo povo que sofria. Finalmente, o rei percebeu a tristeza em sua expressão, e perguntou-lhe o seu motivo; Neemias explicou-o ao rei, que lhe concedeu permissão de ir à cidade e agir lá como um tirshatha, ou governador, da Judeia. Neemias chegou a Jerusalém no 20.º ano do reinado de Artaxerxes I (445/444 a.C.) com um forte séquito que lhe fora fornecido pelo próprio rei, e com cartas para todos os governadores das províncias pelas quais passaria, assim como para Asaf, o mantenedor das florestas reais, ordenando-os a ajudá-lo. Embora nem todos os teologos concordem a respeito do tema, existem evidências, incusive textuais, de que Neemias teria sido um eunuco. Ele certamente parece ter sido visto como tal nos textos posteriores do judaísmo - a Septuaginta, tradução grega da Bíblia hebraica, o descreve como um eunochos ("eunuco"), e não como um oinochoos ("copeiro"). Além disso, ele servia tanto na presença do rei como da rainha, o que aumenta a possibilidade de ter sido castrado. De acordo com a lei judaica, nenhum cujos testículos tenham sido esmagados ou seu pênis decepado será admitido à Assembleia do Senhor; desta maneira, Neemias não podia entrar em certas partes do Templo, o que seu inimigo, Semaías, tentou enganá-lo para que fizesse, inadvertidamente.

Diante do relatório de Hanani, Neemias sentiu seu coração doer por saber que seus irmãos sofriam uma grande vergonha e desprezo pelos povos vizinhos, em virtude da destruição dos muros e da cidade. Certamente ele não sabia o que fazer para ajudá-los, então decidiu em seu coração buscar ao Senhor em oração (durante quatro messes ele orou).

Assim como nos dias de Neemias, nunca ouve uma necessidade tão grande de orar como existe hoje. O momento que estamos vivendo é muito difícil, a todo o momento somos surpreendidos com novas noticias que não gostaríamos de ouvir, o que fazer diante de tantas catástrofes, calamidades e tragédias, se não buscarmos ao Senhor em oração ficaremos a mercê, completamente sem saber o que fazer.

Como igreja do Senhor Jesus precisamos sair de nossa zona de conforto e começar a clamar não só por nós, mas por esse povo que sofre e esta morrendo, sem Cristo e sem salvação.

Quero convidar você para que possamos analisar o agir de Deus na vida de um homem que saiu de sua zona de conforto para orar e jejuar por um povo pecador.

Neemias um simples copeiro do rei foi transformado por Deus em um grande empreendedor, conduzindo o povo a um dos maiores feitos da história do povo de Israel, a reconstrução dos muros e da cidade de Jerusalém.

Para a oração mover o impossível é preciso ter comunhão com Deus

Se vós permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedi o que quiserdes, e vos será feito” (Jo 15:7).

Neemias reconheceu que precisava se arrepender

“...pelos filhos de Israel, teus servos, confessando eu os pecados dos filhos de Israel, que temos cometido contra ti; sim, eu e a casa de meu pai pecamos”

Neemias jejuou e orou durante muitos dias com lágrimas, ele estava profundamente comovido com a lamentável situação do povo e motivado em orar e agir, quando poderia ficar no conforto do palácio sem se preocupar, inclusive teria a desculpa de está servindo a pessoa mais importante da época o rei Artaxerxes, mas não foi isso que ele fez. Ele intercedeu pelo povo lamentando o pecado de Israel e a infeliz situação a qual eles se encontravam, Neemias queria que Jerusalém revivesse novamente para adorar ao único e verdadeiro Deus. Quando Neemias se dispõe a orar, ele tem em seu coração a gratidão ao supremo Deus mesmo não sendo esse um bom momento, a gratidão deve estar em nosso coração em todos os momentos de nossa vida. Ele expressa adoração quando disse: “Ah! Senhor, Deus do céu, Deus grande e temível, que guardas o concerto e a benignidade...”. Quando oramos também adoramos, não podemos deixar de adorar ao Senhor em nossos momentos de oração. Ele demonstrou arrependimento não só por si próprio, mas também pelo seu povo que no tempo de seus antepassados desobedeceram ao Senhor pecando gravemente, merecendo assim o castigo e a vergonha sofrida, mas ele se lembra da misericórdia do Senhor e a busca de todo coração.

Neemias é específico em sua oração, ele fala o que gostaria de receber de Deus. Quando decidimos buscar ao Senhor em oração precisamos saber o que queremos e principalmente se o que queremos é o que Deus quer nos conceder, Deus não é obrigado a nos atender, ele nos atende por amor e misericórdia. Nunca se esqueça de pedir com humildade.

Neemias estava também comprometido com o que estava pedindo. Ele pediu a Deus a restauração dos muros e da cidade de Jerusalém, mas se colocou à disposição para ir e liderar esse grande projeto. Ele era apenas o copeiro do rei não podemos esquecer nunca desse detalhe que faz toda a diferença, infelizmente muitas pessoas que não se envolvem com Deus e sua obra não é por falta de capacidade, mas por negligência, Deus não vai aceitar a desculpa da falta de capacidade, pois se ele é capaz de pegar um copeiro e fazer dele um grande líder, imagine como ele pode te usar quando você se lançar em suas mãos.

“A oração deve penetrar e vivificar todos os setores de nossa vida” (Thomas Merton)

Para a oração mover o impossível não podemos ser egoístas

Mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” (Mt 6:33). Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites” (Tg 4:3).

Neemias não buscou seus próprios interesses.

Tendo eu ouvido estas palavras, sentei-me e chorei, e lamentei por alguns dias; e continuei a jejuar e orar perante o Deus do céu”

Infelizmente a maioria das pessoas que oram, estão em busca de soluções para seus próprios problemas, não se preocupam com os problemas das outras pessoas. É cada um por si e Deus por todos. O egocentrismo tem invadido os nossos arraiais. Para nossa tristeza.

A maioria das igrejas estão levando seus membros a depender da oração de outras pessoas, dependência da oração do pastor e de suas correntes de orações, além de não ensinarem os crentes a terem uma vida de oração, a maioria dessas igrejas leva as pessoas a uma busca desenfreada por bens materiais e status social. Tudo gira em torno de uma satisfação pessoal, infelizmente o “eu” é como um abismo sem fundo e insaciável, quanto mais o ser humano tem mais ele deseja para si. Neemias caminhou na contra mão, ele estava vivendo no palácio do rei com toda a regalia, mas seu coração não se inflou com todo o luxo e conforto que ele desfrutava, manteve-se humilde e amoroso, sem orgulho e soberba, foi por isso que se preocupou com povo que sofria sem nenhuma esperança. Neemias deixou o conforto do palácio para fazer uma viagem longa e cansativa em favor de um povo que não merecia. O mundo está precisando de outros Neemias que se levantem com humildade e amor no coração para clamar por tantas pessoas que sofrem sem esperança, nós como igreja que somos podemos fazer muito mais do que imaginamos, nem só com dinheiro se resolve os graves problemas do mundo de hoje, foi essa lição que Jesus quis nos dar quando Ele disse: “Dá-lhe vós de comer”. Quando ouvimos que o mundo está faminto, logo olhamos para os nossos bolsos procurando uma moeda que não vai nos fazer falta para doar ao faminto, nem sempre “duzentos dinheiros” vão dar para alimentar a multidão e, se fosse suficiente para tanto, onde iríamos comprar tantos pães para essa multidão, mas quando acreditamos que Deus é capaz de multiplicar o nosso “lanchinho” diário e temos a coragem de colocá-lo nas mãos de quem é capaz de fazer o que nós não podemos, ai é que a coisa acontece. Quantos que estavam com Jesus, os discípulos no deserto e com a multidão, tinham um “emborná” com pães e peixes, mas por ter um coração egoísta preocupando-se consigo mesmo sem pensar nos outros não foram capazes de entregar ao Senhor Jesus o seu “lanchinho” confiando integralmente em seu poder, voltaram para casa com a barriga cheia sim, mas com cara de decepção por não ter tido a honra de fazer parte do milagre da multiplicação.

Se Neemias tivesse esse tipo de atitude medíocre o seu povo teria continuado naquela situação de humilhação e desprezo, mas, graças a Deus, ele se compadeceu, ele amou o seu povo de uma maneira tremenda ao ponto de deixar o conforto do palácio fazendo uma viagem cansativa e cheia de desafios com a única finalidade de abençoar um povo pecador e que não merecia ser ajudado. Isso sim é amar o próximo como a si mesmo, ele desejou que o seu povo vivesse com dignidade como ele estava vivendo. Qual será a sua atitude diante da realidade que você está vendo?

Para a oração mover o impossível precisamos orar com humildade

E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se desviar dos seus maus caminhos, então eu ouvirei do céu, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra”.(2º Cr 7:14)

Neemias foi humilde quando orou a Deus

“Ó Senhor, que estejam atentos os teus ouvidos à oração do teu servo, e à oração dos teus servos que se deleitam em temer o teu nome; e faze prosperar hoje o teu servo, e dá-lhe graça perante este homem”. (Era eu então copeiro do rei.)

Orar com humildade é muito importante, pois humildade é o sentimento que temos de nós mesmos a respeito de nossas próprias fraquezas. Quando reconhecemos quão inferior que somos diante da grandeza do Deus poderoso que servimos, podemos assim orar em busca do que queremos com toda oração e súplica sem soberba e altivez. É possível clamar com confiança e fé sem ofender a grandeza e a soberania de Deus, pois a Ele cabe o poder de decisão, quem pede deve esperar com paciência e humildade, sem desanimar.

Neemias esperou a resposta de Deus. Durante quatro meses, Neemias se dedicou a orar exclusivamente em favor de seu povo, ele queria muito ajudá-los e tinha certeza que podia, mas, sabia que, para isso, era necessário que o Senhor movesse o coração do rei no momento certo. Não era comum os empregados do palácio conversarem com o rei, muito menos o rei se preocupar com os mesmos. Durante quatro meses ele esperou com paciência a oportunidade, não só ele, mas os outros que o ajudavam neste grande empreendimento. Ele perseverou com fé crendo que Deus o responderia. “Perseverai na oração, velando nela com ações de graça...” (Cl 4:2).

Perseverar não é fácil. No Salmo 102, podemos sentir que o autor estava vivendo um momento muito difícil, devido às suas grandes dificuldades, perseverar já não é fácil, imagine em tempos de angústia, ele sentia-se rejeitado e colocado de lado mas, mantinha sua confiança em Deus.“Atenderá à oração do desamparado; não desprezará a sua petição” (verso 17). Os problemas da vida podem subjugar-nos e fazer com que sintamos que Deus nos abandonou. Muito embora possamos sentir em algum momento que estamos sós, Deus permanecerá sempre ao nosso lado e manterá todas as promessas feitas a nós. Não importa onde você possa estar ou qual seja o tamanho de sua necessidade, mesmo que você não o sirva como Ele gostaria, por seu infinito amor e misericórdia ele estará sempre ao seu lado pronto para ouvir o seu clamor, seja em alta voz ou mesmo em silêncio, basta que você creia nEle.

Em algum momento Deus responderá a oração quase que imediatamente. Quando isso acontece ficamos felizes e até pensamos que é sempre assim, mas algumas vezes a resposta não vem imediatamente, ficamos entristecidos, alguns de nós ficam zangados, frustrados, e há até mesmo os que abandonam nossas igrejas e vão buscar em outro lugar. Em algumas igrejas estão oferecendo o milagre urgente. Vejam que absurdo: em algumas igrejas tem o dia do milagre urgente, até parece que Deus é um funcionário de tal igreja que só pode ir ao trabalho naquele dia. Quem perder estará em maus lençóis. A maioria das pessoas são levadas a acreditar que Deus tem que responder e quanto maior for a oferta mais fé se demonstra, assim Deus responde mais rápido, uma fé mercantilista. Fico imaginando que “deus” corrupto é esse que qualquer um o suborna com uma nota de cinquenta reais e diz o que ele tem que fazer, como fazer e onde fazer. Neste caso temos um crente sem fé e corrupto e um “deus” fajuto e corrupto também.

O Deus verdadeiro sabe tudo e pode tudo, é soberano, poderoso, auto suficiente e muito mais, Ele não acata determinações humanas ou responde petições, súplicas e o clamor do seu povo por dinheiro, mas por amor e misericórdias, e “as misericórdias do Senhor são as causa de não sermos consumidos”. Se Deus ainda não respondeu, não seja tolo meu irmão, espere. Esperar não é fácil, eu sei, então junto da esperança coloque a confiança, a perseverança, e creia em Deus tão somente. A resposta certa vem do Senhor.

Para a oração mover o impossível é preciso crer de todo coração com fé

“E tudo o que pedirdes na oração, crendo, recebereis” (Mt 21:22).

Neemias cria que Deus ouviria sua oração.

“Estejam atentos os Teus ouvidos e abertos os Teus olhos, para ouvires a oração do Teu servo, que eu hoje faço perante Ti, dia e noite...”

É fundamental orar com fé: “Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não vêem. Porque, por ela, os antigos alcançaram testemunho. Pela fé, entendemos que os mundos, pela palavra de Deus, foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente. Pela fé, Abel ofereceu a Deus maior sacrifício do que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era justo, dando Deus testemunho dos seus dons, e, por ela, depois de morto, ainda fala. Pela fé, Enoque foi trasladado para não ver a morte e não foi achado, porque Deus o trasladara, visto como, antes da sua trasladação, alcançou testemunho de que agradara a Deus. Ora, sem fé é impossível agradar-lhe, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe e que é galardoador dos que O buscam”. Mas, infelizmente, tem pessoas que oram, mas não confiam plenamente em Deus. A falta de confiança tem levado muitas pessoas a não obter êxito em suas orações e por não conseguirem o que desejam ficam frustradas, perdendo o ânimo deixam de perseverar em oração. Nem sempre conseguimos o que queremos na hora que pedimos, nem tudo que pedimos é o que Deus quer para nós. Para não desanimarmos em nossa fé é preciso consultar a vontade de Deus, nunca em momento algum podemos nos esquecer que até a nossa fé precisa estar de acordo com a vontade de Deus. Eu não tenho o direito de querer o que Deus não deseja pra minha vida até porque minha vida pertence a Ele, eu e você somos do Senhor e tudo que temos ou que virmos a ter também pertence a Ele. O mundo evangélico hoje está entendendo o “tudo posso naquele que me fortalece”, o “tudo é possível ao que crê”, de forma equivocada. Tudo posso e tudo é possível, mas Deus é e sempre será soberano, não podemos usar a Bíblia como uma “varinha de condão” a Bíblia é a Palavra de Deus e Deus é soberano.

Conclusão: Neemias foi um homem de oração e de ação. Ele não agia antes de orar. Ele confiava em Deus e trabalhava. Ele orou ao saber do problema que seu povo enfrentava em Jerusalém. Ele orou ao falar com o rei Artaxerxes. Ele orou diante dos ataques do inimigo. A oração era a atmosfera em que realizava sua obra. Ele entendia que a obra de Deus precisa ser feita na força de Deus. Não podemos impactar o mundo sem sermos impactado pelo poder da oração. Quando oramos estamos dizendo para Deus o que queremos, mas dando a Ele autorização para fazer Sua vontade. Tudo precisa estar de acordo com a vontade de Deus e para a glória de Deus. Neemias acreditava que Deus é quem abre as portas, provê os recursos, desperta o povo, livra do inimigo e dá a vitória. A intensa agenda de oração de Neemias, entretanto, não fez dele um líder contemplativo, mas um homem dinâmico, um líder competente, um estadista que reconstruiu os muros de Jerusalém e reedificou sua cidade dos escombros.

Quando colocamos em prática os ensinamentos de Deus, certamente, chegaremos mais perto dEle e, sendo assim, teremos mais intimidade com o nosso Deus, o único que ouve e pode responder.

O rei perguntou a Neemias o que ele queria, este não teve dúvida: orou a Deus pedindo confirmação acerca do plano que estava em seu coração. Então, convicto que seu plano estava aprovado por Deus, ele declara ao rei o que queria. Se Deus aprova não há nenhum impedimento, não há barreiras para deter a oração de um servo do Senhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário